Projetos

Davida – Prostituição, Direitos Civis, Saúde

Saindo do escuro: Desvendando violações de direitos humanos na prostituição feminina

Rio de Janeiro

Objetivos e público alvo

A proposta foi fazer uma pesquisa qualitativa para mapear casos de violação dos direitos humanos de prostitutas nas cidades de Salvador, Corumbá, Manaus e Porto Alegre. E levantar experiências de mobilização e afirmação da identidade, da autonomia e da dignidade. O projeto deve subsidiar ações locais, nacionais e internacionais de advocacy.

Atividades principais

  • Divulgação de resultados
  • Oficinas
  • Sistematização, análise e discussão dos dados
  • Trabalhos de campo e entrevistas

Contexto

A organização constatou a escassez no Brasil de produções científicas sobre violação de direitos humanos das prostitutas e sobre as formas como essas mulheres se constroem como sujeitos de direitos (políticos, econômicos, culturais, sexuais, entre outros). Com a produção desse conhecimento específico, prostitutas terão subsídios para qualificação técnica e do discurso.

Sobre a organização

Criada em 1992, a Davida busca criar oportunidades para o fortalecimento da cidadania das prostitutas, por meio da organização da categoria, da defesa e promoção de direitos, da mobilização e do controle social. Entre as atividades da organização está o desenvolvimento de projetos de prevenção a DSTs e Aids, em parceria com o Ministério da Saúde. A iniciativa beneficia mais de 20 mil prostitutas em todo o Brasil, sendo 8 mil prostitutas por ano no Estado do Rio. Em 2005 foi concretizada a Daspu, grife e marca registrada de vestuário. O negócio social da Davida busca a sustentabilidade econômica da organização para garantir a sustentabilidade social da sua missão. A ONG também participa do jornal e website Beijo da Rua. Desde 1988, a publicação trata do dia-a-dia da prostituição e do movimento organizado de prostitutas; e realiza o evento cultural Mulheres Seresteiras, que reúne profissionais e amadores do sexo e da música no processo de revitalização comunitária nas áreas de prostituição do Rio.

Resultados

Ao fim do prazo estipulado para o projeto foram pesquisadas seis cidades e os dados entraram em fase de sistematização para serem apresentados. A organização publicou, com financiamento do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), um livreto com os dados da pesquisa preliminar, realizada em 2008 com prostitutas apenas da cidade do Rio de Janeiro. O trabalho todo demonstrou a necessidade de estender a pesquisa a outras cidades do país.

Linha de Apoio

Edital Anual

Ano

2009

Valor doado

R$ 24.940,00

Duração

7 meses

Temática principal

Direitos das mulheres

Ajude a transformar o país!
Colabore com nosso trabalho!

DOE AGORA

Projetos

Conheça os projetos apoiados pelo Fundo Brasil

Saiba mais